Notícias

Como nós cristãos devemos usar a tecnologia?

O chamado à responsabilidade e ao discernimento no uso da tecnologia é uma questão relevante nos dias de hoje. Diante de tanto discurso de ódio e intolerância, além da disseminação de notícias falsas, existe um grande apelo para o uso consciente e responsável da tecnologia, principalmente por parte dos cristãos.


A igreja reconhece que a tecnologia no uso da comunicação oferece muitos benefícios para a sociedade como a “criação laços de solidariedade entre os homens” como diz a Instrução Pastoral Communio et progressio, mas também reconhece que o uso indiscriminado ou inadequado pode ter consequências negativas e prejudicar a dignidade humana, onde nós enquanto usuários “somos reduzidos a consumidores, escravos de interesses privados concentrados nas mãos de poucos”, como o Santo Padre disse em mensagem aos participantes da plenária da Pontifícia Academia para a Vida, em fevereiro de 2020.

Portanto somos encorajados a refletir e discernir sobre como usar os meios digitais de comunicação de forma ética e responsável com base nos princípios da justiça, caridade e respeito ao próximo.

Somos chamados a utilizar a tecnologia para melhorar a qualidade de vida das pessoas, promover a solidariedade, combater a injustiça e a desigualdade social. Isso pode ser feito, por exemplo, por meio das redes sociais para disseminar mensagens de paz, compaixão e esperança.

A missão evangelizadora é o ponto central do chamado à responsabilidade e discernimento. Através de diversos veículos e conteúdos, somos encorajados a compartilhar a mensagem de amor, misericórdia e salvação oferecida por Jesus Cristo.

Por meio de blogs, podcasts, vídeos, redes sociais e outras formas de mídia digital podemos alcançar pessoas que de outra forma não teriam acesso a essa mensagem. Vale ressaltar que esta modernidade ao transmitir tais mensagens não é moralmente neutra, ela pode ser usando tanto para o bem quanto para o mal.

Portanto, como seguidores e imitadores de Cristo que sempre buscamos ser em nossa caminhada de vida, devemos discernir os impactos das nossas escolhas tecnológicas e se elas estão em consonância com os valores cristãos. Isso implica no uso excessivo ou viciante da tecnologia (principalmente nos tirando o foco da evangelização e do uso consciente), respeitar a privacidade dos outros, combater a disseminação de notícias falsas e destrutivas (comprometendo a dignidade do próximo).

De maneira geral, a tecnologia quando usada adequadamente, além de promover a dignidade humana, pode promover o bem comum, a justiça e a evangelização.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo